13 junho 2009

JUST TASTE

"(...)a queda da laranja provocará o poema?
a laranja voadora é, ou não é, uma laranja imaginada por um louco?
e um louco, saberá o que é uma laranja?
e se a laranja cair? e o poema? e o poema com uma laranja a cair?
e o poema em forma de laranja?
e se eu comer a laranja, estarei a devorar o poema? a ficar louco?
e a palavra laranja existirá sem a laranja?
e a laranja voará sem a palavra laranja?(...)"

(versos de "Prefácio para um livro de poemas", in O Medo, de Al Berto)

2 comentários:

Porcelain Doll disse...

Curioso, verdadeiramente curioso! :D De uma deliciosa lógica insana... acho que sim, que é possível a laranja voar sem a palavra laranja... basta chamar-lhe morango... :) à laranja... e mesmo assim... talvez voasse na mesma, mesmo que se lhe não chamasse morango; talvez as palavras não sirvam mesmo para nada... ou quase nada...

:)

©carmen zita disse...

É pá, cheguei a pensar que tivessem abandonado este cantinho poético. Bom regresso.